Campo de busca

Categoria Marketing Digital

Conheça o que é Marketing Viral

Conheça o que é Marketing Viral

Por | 05 de setembro, 2013 | 6 comentários

Marketing viral é um assunto que vem sendo muito comentado nos últimos tempos. Mas o que é marketing viral? Será que é possível garantir o sucesso de uma campanha viral? Existem fórmulas ou segredos? Saiba aqui um pouco sobre essa estratégia, conheça alguns cases de sucesso e um case que não deu muito certo.

Quando surgiu?

Em meados de 1997, o então estudante Tim Draper (Não confundir com o famoso Don Draper) usou o termo "Marketing Viral" para descrever uma ação do Hotmail que utilizava anúncios da própria empresa no rodapé de todo e-mail enviado. A ideia de que as pessoas estivessem fazendo propaganda gratuita da empresa, de forma boca-a-boca e gerando um crescimento exponencial na base de usuários do serviço gerou tanta intriga que Draper e um sócio vieram a escrever o (possivelmente) primeiro artigo sobre Marketing Viral.

Mas a grande verdade é que o marketing viral só se tornou hype alguns anos depois, com a popularização das redes sociais e dos serviços de streaming de vídeo (em especial, o Youtube). Na época, o tema dividia opiniões: agências passaram a se dizer especializadas em marketing viral e oferecer o serviço, enquanto outras pessoas do meio defendiam o contrário, alegando que não se pode vender/prever a viralização de uma campanha, apenas o seu potencial. Até então, dizia-se que existiam muitos fatores externos para que uma campanha se tornasse viral, portanto não havia como vender marketing viral como serviço sem garantir sua eficácia. 

Como fazer?

Hoje em dia, sabemos que a verdade sobre o sucesso de um viral é uma mistura dos dois casos: existem, sim, muitos fatores de viralização que estão fora do alcançe das agências, porém também existem diversos estudos que ajudam a criar campanhas com potencial de viralização muito alto. Jonah Berger, professor da Universidade da Pennsylvania, passou boa parte da sua vida acadêmica estudando o efeito viral e diz ter criado uma fórmula para tentar entender a construção de um viral de sucesso, baseada em 6 passos. Isso não significa, porém, que ficou fácil fazer viral. Marketing Viral é uma ciência, depende de muito estudo e de muita validação de hipótese, além do mais importante que é entender que a campanha precisa causar uma reação emocional: faça rir, pensar ou chorar, mas faça o consumidor sentir algo.

Abaixo eu separei alguns exemplos de cases virais recentes e seus views. Vale lembrar que os números que coloquei junto de cada vídeo crescem a cada dia e representam as visualizações somente daquele vídeo. Um viral costuma ser replicado dezenas de vezes em canais diferentes, tornando cada vez mais difícil medir o número exato:

Dove - Retratos da Real Beleza - Mais de 5 milhões de views

Homer Shake - Mais de 29 milhões de views

Evian - Baby & Me - Mais de 60 milhões de views

#PubLooShocker - Mais de 8 milhões de views

Carlsberg - Amizade à prova - Mais de 5 milhões de views

O outro lado

Mas nem tudo são flores no mundo do Viral. Muito pelo contrário: para cada caso de sucesso existem muitos casos falhos dos quais as vezes nem chegamos a ficar sabendo.

Um dos casos mais clássicos é o da Nike: quando o Corinthians esteve na final da Copa Santander Libertadores, a Nike veiculou uma carta endereçada à "maior torcida do Brasil", que seria a de anti-corintianos. Um dos trechos da carta dizia: "Não adianta disfarçar. Sabemos que você assiste aos nossos jogos. Escutamos os seus gritos e seus rojões quando perdemos. Você acha que torce para um time, mas não. Você é parte de uma torcida sem nome, sem bandeira, sem grito. Uma torcida sem time que não entende este bando de loucos". Obviamente, muitos corintianos gostaram da ação.

Neste caso, a Nike cometeu duas gafes: como a marca também era parceira do Boca Juniors, justamente o rival do Corinthians na final, fez uma ação muito similar na Argentina. Desse modo, acabou torcendo para os dois lados. Além disso a empresa também é parceiras de outros 4 times no Brasil e torcedores destes e de outros times afirmaram, na ocasião, que não comprariam mais produtos da marca.

Cada caso é um caso

Marcos Hiller, coordenador do MBA de gestão de marcas da Trevisan Escola de Negócios afirma: fazer viral "é assumir um risco". Segundo Marcos, "as empresas precisam se preocupar mais com a construção da marca. Esse tipo de ação gera  'likes' no Facebook, mas gera pouco retorno em vendas. A pergunta não deve ser quantos acessos teve o vídeo, mas o quanto de market share de fato todo esse barulho vai gerar".

Ou seja, é preciso analisar se a estratégia de marketing viral está alinhada ao posicionamento do negócio e, talvez mais importante, se faz parte da cultura da marca. "O foco deve estar voltado para a construção da marca de forma consistente, no longo prazo, e não em uma campanha. Na era da informação, a ordem é fazer barulho. Mas são poucas as coisas que de fato não são esquecidas pelas pessoas no dia seguinte", finaliza Marcos.

 

Deixe um comentário

Queremos saber o que você pensa sobre esse post! Ficaremos felizes se você nos deixar um comentário :-)

Tenha em mente que os comentários são moderados, e os links possuem rel="nofollow". Então por favor, não faça spam de palavras-chave, senão o seu comentário será excluído. Obrigado!

 

[6] Comentários  

Gisele Fonseca

Muito bom esse material, estou fazendo uma pesquisa à respeito de Marketing Digital na faculdade e preciso falar de Marketing Viral também, certamente vou incluir informações valiosas que pude captar aqui. Parabéns !!

22-11-2013 às 00:47 Responder

Fábio Scaico

Fábio Scaico

Em resposta a Gisele Fonseca

Oi Gisele.

Obrigado pelo comentário e sucesso no seu trabalho de Marketing Digital. Fique sempre de olho em nosso blog, pois sempre temos posts interessantes para a área! :)

22-11-2013 às 09:38 Responder

Victória

Ótima matéria, parabéns!
É de suma importância saber aonde, como e quando divulgar o material que se tornará viral.
Lembre - se: "Números altos nem sempre são os melhores resultados", entretanto, é de se ressaltar que a divulgação tem de ser planejada, já que hoje em dia, o gosto das pessoas varia muito.
Obrigado pela atenção, e parabéns pelo post!
Juan
http://www.geracaointerativa.com.br/

09-12-2013 às 11:24 Responder

Noeli

Gostaria de saber se vocês dão suporte para Mídias Sociais e Seo

29-03-2015 às 21:15 Responder

Rodolfo Pereira

Rodolfo Pereira

Em resposta a Noeli

Entre em contato pelo e-mail contato@princiweb.com.br que a gente te responde melhor :)

Abs!

06-04-2015 às 14:16 Responder

Claudio Falcão

Muito boa a matéria. Muito esclarecedoura para mim, uma vez que irei falar sobre o tema na minha conclusão de curso.

26-08-2015 às 09:10 Responder